Afinal, o que é telemedicina e como ela funciona?

13 de setembro de 2016

Você sabe o que é telemedicina? Poder emitir laudos à distância, fazer cirurgias, cursos de capacitação, diagnósticos… tudo isso faz parte do assunto. Afinal, a tecnologia está em todas as áreas do conhecimento, e de nossas vidas — e com a saúde não poderia ser diferente.

A seguir, vamos conhecer um pouco mais sobre o assunto e ver como funciona a telemedicina. Continue lendo e confira!

O que é telemedicina?

A telemedicina nada mais é do que uma forma de aliar os recursos tecnológicos para melhorar o atendimento médico e a saúde do paciente. Com ela, é possível enviar laudos e exames por meio digital de qualquer lugar do país também para qualquer lugar, de forma supersegura, legalizada, eficiente e rápida. Ou seja, a telemedicina oferece inúmeros benefícios não só para o setor médico, mas também para toda a população.

Daremos um exemplo para ficar mais claro. Digamos que você more no interior de São Paulo e o seu médico de recomendou um especialista para a sua patologia — mas esse especialista mora na capital, e você teria que viajar até lá para se consultar com ele.

Apenas teria, porque, se há telemedicina nessa comunicação, não há a necessidade alguma de gastar tempo e dinheiro com uma viagem. Nesse caso, o médico da sua cidade enviará, por meio digital, todos os seus exames e sua ficha de avaliação com seus dados para esse especialista.

Este fará a avaliação e enviará a resposta em pouco tempo, dando uma segunda opinião sobre a patologia em questão ou acrescentando informações importantes. E isso tudo pode ser feito não apenas dentro do mesmo estado, como também de um estado para o outro — não importa onde você esteja, a telemedicina te alcança.

A telemedicina é reconhecida no Brasil?

Esse método tem regulação na Associação Americana de Telemedicina que é reconhecida no nosso país. Aqui há uma exigência para que a empresa que presta o serviço possua um médico como responsável técnico, e que ele possua registro em algum conselho regional de medicina.

A telemedicina no Brasil

Desde 2006 o Ministério da Saúde lançou um programa chamado Telessaúde Brasil Redes que tem como principal objetivo melhorar a atenção básica através de um bom atendimento. A partir dela o Brasil não só promove a teleassistência como também a teleducação.

Também há um programa chamado RUTE (Rede Universitária de Telemedicina) voltado para as entidades de ensino superior que possuam hospitais universitários certificados. São instituições de pesquisa que também trazem benefícios para a criação de uma base forte em telemedicina e telessaúde no nosso país.

A telemedicina substitui a medicina tradicional?

Por enquanto, isso não é uma realidade — até porque o contato físico entre o médico local e o paciente ainda é fundamental para um diagnóstico mais certeiro. Porém, a telemedicina oferece um grande apoio à medicina tradicional economizando um tempo precioso que muitos pacientes não podem se dar ao luxo de despender.

Qual é a importância da telemedicina?

Quem não mora em grandes centros costuma passar por muitos problemas, como falta de recursos e de profissionais mais especializados. Várias cidades pequenas só possuem um clínico geral, e até nenhum especialista para atender à população.

Essas pessoas passam a ter os mesmos recursos, ou ao menos parecidos, com os das grandes cidades. Com a telemedicina, os profissionais que trabalham em hospitais de ponta, e que são referência no mercado, podem atender a várias pessoas que não têm acesso direto a eles.

E outra grande importância da telemedicina é o fato de ela também conseguir levar para os profissionais, que trabalham em locais de pouco desenvolvimento científico, as grandes novidades do mundo da saúde. Assim, é possível usar essa ferramenta como uma forma de educação à distância, realizando conferências, cursos, seminários e outros eventos.

Como ela funciona?

A telemedicina trabalha em 3 frentes: a teleducação, a teleassistência e a emissão de laudos à distância. Falaremos agora de cada uma separadamente, para que você possa compreendê-las melhor.

Teleducação

O foco aqui é o profissional de saúde que mora em lugares onde não há produção de conhecimento científico, nem a sua proliferação por eventos ou cursos. É, portanto, uma forma de capacitar o profissional sem a necessidade de saírem do lugar, da mesma forma como funciona o ensino à distância — por meio de palestras, videoconferências, programas de reciclagem, dentre outros.

Emissão de laudos

Este é o ramo da telemedicina que mais cresce no nosso país. Dessa maneira, o exame do paciente pode ser feito em qualquer parte do território nacional, e o especialista, por meio de um dispositivo móvel conectado à internet, pode ter acesso a esses exames e emitir laudos médicos digitais.

Teleassistência

Aqui o paciente pode ser monitorado dentro da sua própria casa ou do centro de saúde no qual estiver, e o médico que estiver fazendo o seu atendimento poderá se comunicar com outros profissionais do país inteiro.

Assim, é possível ter acesso aos melhores especialistas do país, pedindo uma segunda opinião ou mesmo para realizar uma cirurgia à distância, o que é muito útil nos casos de emergência ou quando o paciente não está em condições de ser transferido para outro local.

Quais são as vantagens da telemedicina?

Sem dúvidas, a maior vantagem da telemedicina é a possibilidade de romper as barreiras geográficas melhorando o atendimento médico hospitalar. Com ela, a clínica médica ou o hospital terá acesso aos melhores e mais bem conceituados do país em todas as áreas apenas usando esse recurso.

E essa descentralização traz benefícios não só para o paciente, que tem uma equipe médica a seu dispor, como também para os médicos, ajudando-os a salvar cada vez mais vidas. Os custos financeiros também são reduzidos com o uso da telemedicina.

Outros benefícios que vantagens que a telemedicina apresenta são:

  • o tempo é melhor aproveitado. Por exemplo: um trabalhador que pediu licença de um dia no serviço para ir a uma consulta médica não precisa pedir outra para fazer os exames necessários. É possível fazer tudo no mesmo momento;
  • todos os exames recebem a assinatura digital de todos os médicos que foram solicitados para avaliá-los;
  • um registro de todos os exames fica no sistema da clínica, como em um banco de dados que pode ser acessado a qualquer momento e de qualquer lugar. E esse registro também é bom para manter números estatísticos sobre os pacientes do local.

Há desvantagens?

Como tudo nessa vida, a telemedicina não é milagrosa e possui certas desvantagens. Hoje, fala-se muito em humanização do atendimento, e esse sentido, o relacionamento virtual pode ser prejudicial. O contato médico-paciente é muito importante nessa relação, e pode não ser o mesmo se feito exclusivamente à distância.

Outro questionamento é o fato de que a telemedicina pode aumentar a quantidade de erros médicos por conta dessa falta de contato. Muitas vezes, na avaliação do paciente, o médico consegue identificar coisas observando-o de perto, ao vivo; já na teleassistência, isso pode se perder.

Bom, agora que você já sabe o que é telemedicina e quais são seus prós e contras, é preciso pensar que há um custo-benefício envolvido. Pense, por exemplo, que as cidades pequenas, que não teriam uma boa assistência pela falta de profissionais qualificados, podem agora ter acesso aos melhores que temos no país graças apenas à tecnologia.

E você, o que acha da telemedicina? Acha que ela traz mais vantagens do que desvantagens? Deixe-nos um comentário com a sua opinião!

Compartilhe esta publicação.
0 0 votes
Avaliar Post
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments