O que é CID 10?

09 de abril de 2021

Assim como em outras profissões, os profissionais de saúde têm alguns instrumentos que usam para se guiarem. A Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados com a Saúde é um dos mais usados. A chamada CID-10 é a décima versão desse documento que foi aprovado, pela primeira vez, em 1994. Depois de dois anos dessa aprovação ele começou a ser usado no Brasil.

Essa ferramenta é uma base epidemiológica importante e organiza as informações a respeito das doenças, seus sinais, sintomas, achados anormais, queixas, circunstâncias sociais e causas externas.

Com todo o avanço científico que estamos presenciando nos últimos anos com aplicações de novas tecnologias um dos maiores desafios que se tem é manter um padrão de comunicação entre os diferentes profissionais das mais diversas especialidades ao redor do mundo. É exatamente aí que a Classificação Internacional de Doenças (CID) entra.

A décima edição desse documento é uma referência importante para qualquer profissional de saúde. Até porque, a medicina atualmente vai muito além do que somente o conhecimento do corpo e da mente humana. Quando o assunto é saúde dos pacientes, a epidemiologia tem uma importância crucial.

Até porque, a avaliação do aumento ou diminuição de determinada doença vai ajudar a traçar o perfil da população. Isso irá, consequentemente, determinar quais recursos vão realmente suprir a necessidade dos habitantes daquele lugar.

O que é CID-10?

A Classificação Internacional de Doenças é o instrumento de base epidemiológica que organiza a informações a respeito das doenças, sinais, sintomas, achados anormais, queixas, circunstâncias sociais e causas externas.

O objetivo principal da CID-10 é ajudar no estudo de doenças que afetam um local em específico ou um grupo de pessoas. E para que isso fosse feito da maneira mais correta e simples possível foi criado um padrão para classificar as patologias.

Então, a Organização Mundial de Saúde desenvolveu a Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados com a Saúde, que é mais conhecida como Código Internacional de Doenças (CID). O “10” na frente do nome quer dizer que ele está em sua décima versão.

Os estudos para a criação da CID-10 começaram em 1983. E foram afirmados na 43ª Assembleia Mundial de Saúde. Essa classificação foi usada pela primeira vez em 1994 pelos estados-membros. Por mais que classificação tenha o objetivo de ter um alcance mundial, ela é usada somente por 27 países. O nosso começou a usá-la em 1996.

A CID-10 é válida até primeiro de janeiro de 2022. Quando essa data chegar ela será substituída pela décima primeira versão.

Como o CID-10 funciona?

Como a CID-10 é uma organização hierárquica de conceitos, os grupos maiores tem conceitos mais específicos. E com uma padronização catalogada e codificada das doenças, isso facilita o controle da variação do número de casos de cada uma delas. Além de também facilitar ver o local ou grupo de pessoas que são afetadas por determinadas doenças.

Por toda essa organização que a CID-10 ajuda os profissionais de saúde diariamente no exercício da sua profissão. Até porque eles tem acesso ao alcance deles uma lista das principais possibilidades diagnósticas.

Depois de consultar na CID, as decisões e planejamento são guiados por dados integrados. E sem essa classificação, seria bem mais difícil juntar as informações para que estratégias fossem criadas.

Ou seja, a CID-10 funciona como um agrupamento de conceitos de doenças e sinais relacionados à elas. Colocado na prática, esses conceitos são usados para que diagnósticos clínicos sejam feitos se baseando em outras fontes bibliográficas.

Como usar

Como já vimos, a CID-10 é uma das principais ferramentas epidemiológicas para ser usada na clínica médica. Toda essa importância que ela tem se deve a dois grandes motivos. O primeiro é que ele é um instrumento que se baseia em pesquisas de incidência e prevalência das doenças, seus sinais e sintomas.

O segundo é que a CID é uma classificação que possibilita a disseminação rápida de informações padronizadas a respeito de queixas e diagnósticos. Então, ela funciona como uma via para que a prática médica seja cada vez mais melhorada com seus dados obtidos do cotidiano dos serviços de saúde.

CID-10

A CID-10 é dividida em 22 capítulos que agrupam doenças que tem características parecidas. Essa catalogação é feita por categorias. Cada uma delas é representada por uma letra e dois dígitos. Depois disso, em um outro nível, existem subcategorias em que são colocados um número de 0 a 9. Veja abaixo quais são esses capítulos.

  • Capítulo I – doenças infecciosas e parasitárias
  • Capítulo II – neoplasias
  • Capítulo III – doenças do sangue
  • Capítulo IV – doenças endócrinas
  • Capítulo V – transtornos mentais e comportamentais
  • Capítulo VI – sistema nervoso
  • Capítulo VII – doenças dos olhos 
  • Capítulo VIII – doenças dos ouvidos
  • Capítulo IX – sistema circulatório
  • Capítulo X – sistema respiratório
  • Capítulo XI – sistema digestivo
  • Capítulo XII – doenças de pele
  • Capítulo XIII – sistema osteomuscular e tecido conjuntivo
  • Capítulo XIV – Doenças do aparelho geniturinário
  •  Capítulo XV – gravidez, parto e puerpério
  • Capítulo XVI – afecções originadas no período perinatal
  • Capítulo XVII – malformações congênitas e anomalias cromossômicas
  • Capítulo XVIII – sintomas, sinais e exames
  • Capítulo XIX – causas externas
  • Capítulo XX – causas externas de morbidade e de mortalidade
  • Capítulo XXI – motivos do atendimento 
  • Capítulo XXII – códigos especiais

Se você quer saber onde consultar a CID-10 saiba que ela pode ser acessada do seu smartphone e de forma gratuita. Para fazer isso é preciso apenas baixar alguma das opções de aplicativos disponíveis na sua loja de app.

Compartilhe esta publicação.

Por Paulo Miranda Filho

Médico, diretor de crescimento na TME, professor de empreendedorismo no MBA Health do BBI of Chicago, Gestão de TI (FIAP) e Especializando Gestão de Negócios (FDC).

0 0 votes
Avaliar Post
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments