Aparelho de ECG: Como funciona o eletrocardiograma?

15 de março de 2021

O Aparelho de ECG é um equipamento de extrema importância na busca por mais qualidade de vida e saúde. Isso porque ele pode ser um grande indicador para uma mudança de hábitos que envolve ter uma rotina mais saudável. Sua execução, cada vez mais precisa e ágil, nos mostra como anda nosso coração e quando podemos melhorar nossa relação com ele.

Hoje vamos falar sobre a importância do aparelho de eletrocardiograma, também conhecido como ECG. Desde sua criação, ele tem presença garantida e essencial em qualquer unidade de saúde. Certamente, a presença do ECG entre os exames oferecidos numa clínica é de extrema importância, pois ele oferece um procedimento cada vez mais requisitado entre os pacientes.

Mas afinal, como o aparelho de ECG influencia a forma como vivemos?

As pessoas estão sempre buscando maneiras de manter a saúde física e mental em harmonia. Sobretudo, elas recorrem a vários meios, que vão desde a mudança na alimentação, até criar uma rotina de exercícios físicos. Aliás, um controle melhor das noites de sono também é de grande ajuda! Todas essas soluções nos ajudam a trabalhar o autoconhecimento sobre o próprio corpo.

Afinal, todos sabem que a saúde vem de dentro para fora. Por isso, fazer determinados exames com frequência é de extrema importância. Um dos principais é o eletrocardiograma, ou ECG

O ECG avalia o ritmo dos batimentos cardíacos. Assim, ele identifica problemas e deficiências cardíacas que podem ser fatais se não forem diagnosticadas a tempo. E o melhor: Tudo isso realizado de forma rápida e simples!

Antes de nos aprofundarmos em como ele funciona, vamos falar um pouco sobre a história do aparelho de ECG?

Você sabe como surgiram os estudos do aparelho de ECG?

Se hoje temos equipamentos capazes de realizar um exame tão importante, é porque, há mais de 100 anos, o pesquisador alemão Emil du Bois-Reymond começou a estudar peixes que eram capazes de gerar corrente elétrica. Posteriormente, ele voltou seu estudo para a condução elétrica pelos nervos e fibras dos músculos. Foi essa pesquisa de Emil du Bois-Reymond que levou o médico neerlandês Willem Einthoven a descobrir o mecanismo do eletrocardiograma. Isso aconteceu no ano de 1885. Enfim, merecidamente, mais tarde ele também recebeu o Nobel de Fisiologia.

Existem outros cientistas reconhecidos pelo desenvolvimento de técnicas e equipamentos que também têm a função de fazer diagnósticos de doenças cardiovasculares. Mesmo assim, Einthoven é tido como o criador do eletrocardiograma.

Quer saber mais sobre essa história? Confira o vídeo abaixo!

Graças a esse estudo, foi descoberto que células do coração são automáticas e geram eletricidade. Estas podem ser percebida na própria pele, inclusive. Assim, foi gerada a necessidade de conseguir medir essa eletricidade para entender melhor o que ela representava para os resultados.

Então, foi descoberto que era possível captar energia da pele humana, graças a adaptação de um galvanômetro. Este último citado, um aparelho usado por eletricistas para medir as diferenças de potencial na rede elétrica. Já parou para imaginar o tamanho da importância dessa descoberta?

Colocando os eletrodos nos lugares certos no corpo era possível desenhar a atividade elétrica do coração da pessoa examinada. Isso foi sendo aperfeiçoado ao longo dos anos, e assim, o eletrocardiograma surgiu. A evolução da tecnologia e os anos de estudo trouxeram ainda mais praticidade e objetividade.

Evolução do aparelho de ECG

Esse tipo de exame possui um histórico mais que centenário. O equipamento usado para fazê-lo é chamado de eletrocardiógrafo. Esse aparelho basicamente mensura os batimentos cardíacos através de um gráfico, que expõe em uma linha contínua sua intensidade.

Einthoven desenvolveu um aparelho de eletrocardiograma através de um sistema sensível e direto. Assim, foi possível identificar a tensão cardíaca do paciente quando um dispositivo chamado galvanômetro de corda foi inventado. Este registrava as tensões de forma mais fiel através das renomadas cinco deflexões, que são mostradas no laudo médico por meio de traços.

Os anos de aperfeiçoamento geraram diversas formas de uso do aparelho de ECG. E com isso, surgiram vários tipos diferentes de equipamentos. Você sabe escolher o modelo ideal para sua instituição de saúde?

Aparelho de ECG ideal

Para escolher o melhor aparelho de eletrocardiograma, não basta apenas buscar um que consiga avaliar a atividade cardíaca e esteja registrado na Anvisa. Esses são os requisitos mínimos, na verdade. É preciso ter atenção para diversos outros pontos.

Atualmente existem vários aparelhos no mercado e os mais variados modelos de ECG digital. Como resultado dessa grande gama de opções, o primeiro passo é procurar descartar os analógicos e escolher o melhor entre os aparelhos digitais.

Como escolher o aparelho de ECG mais adequado?

Nessa escolha, não existe dúvida de que a TME – Telemedicina Cardiológica trabalha com os melhores parceiros e fornecedores. Acima de tudo, os aparelhos fornecidos pela empresa são os mais modernos do mercado. Aliás, caso tenha interesse, você pode conferir isso nesse vídeo técnico sobre um dos aparelhos de ECG dos fornecedores e parceiros da TME.

O aparelho de ECG ideal deve cumprir alguns requisitos que você deve observar. Então fique atento nesses pontos:

1. Deve ser compacto 

Essa é uma característica importante do aparelho de ECG. Afinal, quanto mais compacto ele for, mais fácil o manuseio. Além de não ocupar muito espaço e ter a possibilidade ser guardado em lugar mais acessíveis. 

2. Deve ser portátil

Não basta ser compacto, o aparelho também tem que ser portátil. Essa portabilidade permite que o equipamento seja levado para qualquer lugar. Seja dentro do hospital, em casda ou no trabalho, durante a realização do exame.

3. Tenha conexão USB

Essa conexão com o cabo USB é importante para a transmissão dos dados e para a alimentação do aparelho. Por exemplo, isso permitirá que o exame possa ser realizado sem precisar de energia elétrica, garantindo mais autonomia ao usuário.

4. Software de fácil usabilidade

O aparelho deve possuir um software limpo, objetivo e fácil de usar. Além, é claro, de rapidez na execução do exame – isso garante uma usabilidade mais intuitiva e direta. Buscar aparelhos modernos ajuda bastante nessa questão.

Gerar laudos precisos

Tendo o aparelho ideal e feito o exame, o laudo também é bem importante. Ele é um documento onde se encontra a descrição de todos os elementos encontrados no exame. Além disso, também é onde estão informações sobre a frequência e outros aspectos cardiovasculares do paciente.

O laudo consta com o parecer do médico que analisou os dados do ECG. Depois da leitura dos gráficos, o resultado é comparado com os gráficos padrão. Assim, o especialista vê se a situação está normal ou tem alguma alteração.

O ECG é um exame simples, mas tem um papel de extrema importância: alertar para cardiopatias mais graves. Por conta disso, ele precisa ser feito com precisão. E claro, por um técnico ou enfermeiro capacitado para a função. Até porque, a colocação certa dos eletrodos é um fato essencial. Afinal, são as imagens captadas no exame que vão permitir que uma avaliação e laudo condizente sejam feitas.

Laudos à distância são a melhor opção nesse ponto, isso porque eles garante mais rapidez e segurança ao exame. Da mesma forma, tudo avaliado por médicos cardiologistas experientes.

Sabia que, com uma parceria da TME, sua clínica não precisará contar com especialistas de plantão? Nem investir na contratação desse profissional.

Vantagens de laudos de ECG à distância

Além dessa praticidade e redução de gastos, os laudos à distância para o ECG têm outras vantagens Confira:

  • Laudos salvos na nuvem;
  • Material interpretado por cardiologistas;
  • Disponibilidade de uma segunda opinião;
  • Emissão de laudos 24h por dia; 
  • Aparelhos atualizados e
  • Possibilidade de comodato com os aparelhos.

Quem precisa fazer esse exame?

Depois de falar sobre a história do eletrocardiograma e a importância de laudos bem feitos, vamos explicar como o exame é feito. Em seguida, o vídeo abaixo apresenta um pouco disso!

Como o próprio nome sugere, o exame avalia a atividade elétrica do coração. Assim, o exame é muito usado para detectar condições de doenças silenciosas, dificilmente detectadas. Pessoas com diabetes, pressão alta, fumantes e que tenham histórico familiar de doença cardíaca são quem, geralmente, devem fazer essa checagem.

O exame é simples e pode ser feito no consultório do médico. Então, nenhuma preparação elaborada é necessária. Por exemplo, jejum ou qualquer outro cuidado. A única ressalva é não fazer atividades físicas que possam alterar a frequência cardíaca normal.

Entendeu um pouco sobre o aparelho de ECG? Então fica o questionamento: Afinal, qual a melhor maneira de oferecer esse exame em sua clínica? A possibilidade de aluguel e comodato pode beneficiar bastante uma unidade de atendimento. Isso porque a compra dos equipamentos nem sempre é um investimento possível no momento.

A TME Telemedicina Cardiológica pode te ajudar! Bem como, pode indicar o melhor caminho para sua unidade de saúde.

Quer saber a melhor forma de começar a realizar exames com aparelhos de ECG com qualidade? Clique aqui! Assim você pode entender um pouco mais sobre como o aluguel de equipamentos pode beneficiar sua instituição de saúde. Converse com nosso atendimento ou visite nosso blog para ler mais artigos sobre o assunto!

Compartilhe esta publicação.

Por Paulo Miranda Filho

Médico, diretor de crescimento na TME, professor de empreendedorismo no MBA Health do BBI of Chicago, Gestão de TI (FIAP) e Especializando Gestão de Negócios (FDC).

0 0 votes
Avaliar Post
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments