Diretor clínico: veja 7 erros que você não pode cometer em sua gestão

15 de setembro de 2016

Sabemos que a rotina de um diretor clínico é muito corrida, com diversas obrigações que precisam ser cumpridas. Porém, isso não pode ser motivo para negligenciar algumas atividades, ou mesmo para deixar de acompanhar os processos e seus resultados. Por isso, no artigo de hoje, listamos 7 erros que não podem ser cometidos na sua gestão. Para saber quais são eles, continue a leitura!

1. Ser um diretor clínico que se preocupa apenas com os resultados

Acompanhar os resultados e analisar se eles estão condizentes com as metas que foram elaboradas é fundamental. Principalmente, para saber se o objetivo está sendo cumprido ou quais falhas impedem que isso seja feito. Entretanto, monitorar os processos também é importante para identificar a origem dos problemas e saber quais ações precisam ser tomadas para aprimorar o método de trabalho.

Para que esse tipo de ação não sobrecarregue o fluxo de trabalho, vale a pena envolver a equipe, solicitar feedbacks a respeito da rotina, pedir ideias de melhorias, que precisam e podem ser melhoradas, e buscar meios de implementar essas mudanças. Isso ajuda a manter os colaboradores mais motivados, ao mesmo tempo em que melhora o serviço prestado aos clientes.

2. Não acompanhar o fluxo de caixa

O fluxo de caixa é um controle financeiro que contempla todas as entradas e saídas de dinheiro da empresa em determinado período. Nele, devem ser registradas todas as movimentações, mesmo as de pequeno valor. Para que ele seja bem preciso, o ideal é revisar os dados diariamente, buscando encontrar inconsistências que precisam ser corrigidas, para não impactar nas análises futuras.

Por meio da análise dessa atividade, o diretor clínico passa a saber qual é a relação entre os gastos e recebimentos. Ou seja, se a empresa está com os custos maiores do que as receitas, elaborando ações que ajudam a minimizar — ou eliminar — os problemas, fazendo uma previsão de como será o resultado mensal.

3. Não conhecer os custos

Toda empresa possui custos. Eles são necessários para pagar fornecedores, funcionários, fazer a divulgação, entre outras coisas necessárias para manter as atividades. Contudo, não conhecer esses custos e saber como eles impactam no faturamento da empresa é um dos maiores erros que um diretor clínico pode cometer.

Esse conhecimento e o controle são importantes para que se saiba como o dinheiro é aplicado. Se há algum gasto supérfluo, quais são as oportunidades de redução e, principalmente, o que fazer para que os custos não absorvam uma margem grande da lucratividade.

4. Fazer uma precificação inadequada

A precificação também é um aspecto crucial para o sucesso do negócio. É por meio dela que se alcança um faturamento satisfatório e uma margem de lucro adequada, ao mesmo tempo em que ela serve como um atrativo para novos clientes. Portanto, conseguir chegar a um preço adequado é fundamental para obter bons resultados.

Quando o preço está muito acima do ideal, corre-se o risco de perder possíveis clientes, visto que é possível encontrar o mesmo serviço por valores mais baixos. Por outro lado, quando ele está bem abaixo, perde-se em lucratividade, ao mesmo tempo em que passa a ideia de atendimento de baixa qualidade.

Para precificar os serviços corretamente é necessário conhecer todos os custos que a empresa possui. Além disso, é fundamental estabelecer uma margem de lucro razoável e acompanhar os preços que são praticados no mercado, para não ficar fora da realidade.

5. Não otimizar a rotina de atendimentos

Um dos piores erros em uma gestão é oferecer um atendimento demorado ou com uma equipe não muito capacitada. O problema disso é que, como essa é a área que possui um relacionamento direto com os clientes, a ineficácia pode trazer insatisfação e fazer com que muitos deles desistam de procurar a sua empresa novamente.

Sendo assim, é preciso encontrar oportunidades de melhorar os processos de agendamento, de entrega de resultados, diversificar a forma de atendimento — ampliando os canais, como, por exemplo as redes sociais, site e e-mail. E, principalmente, investir no pós-vendas, que é uma forma de manter a relação mais próxima com os clientes.

6. Deixar de investir em tecnologia

A execução das atividades de forma manual compromete a confiabilidade e a segurança das informações. Isso faz com que os processos sejam mais demorados do que o necessário, aumentando o risco de erros.

Ultimamente a tecnologia tem se desenvolvido cada vez mais, buscando criar soluções que ajudem a modernizar e aprimorar as rotinas de uma empresa. Portanto, o investimento nesta área é uma das melhores decisões que um diretor clínico pode tomar.

Existem soluções como o ERP — que ajuda a integrar a empresa, automatizar as atividades e melhorar o compartilhamento de informações — e o CRM — que é voltado para o relacionamento com os clientes. Especificamente no caso de uma clínica, vale a pena investir em uma solução que ofereça laudos on-line, com muito mais agilidade.

7. Não seguir o planejamento estratégico

O plano estratégico é um documento elaborado para definir quais são os objetivos que a empresa possui em curto, médio e longo prazo, o que precisa ser feito para alcançá-los e a separação deles em metas menores, facilitando o entendimento e o controle. Ele é indispensável para qualquer empresa que está iniciando suas atividades, logo, deve ser revisado semestralmente ou sempre que houver alguma mudança nas premissas definidas inicialmente.

Sem a orientação desse planejamento estratégico, dificilmente, o diretor clínico saberá quais ações serão mais eficazes, quais melhorias precisam ser aplicadas e se os resultados obtidos estão de acordo com o objetivo. Assim, fica mais difícil ter uma orientação a respeito de onde se pretende chegar e qual caminho será traçado para isso.

No artigo de hoje, citamos apenas 7 erros que um diretor clínico não pode cometer em sua gestão. Porém, é preciso sempre estar atento aos processos e acompanhar as rotinas, mesmo que periodicamente, buscando falhas que precisam ser corrigidas e tentando identificar formas de aprimorar os métodos de trabalho.

Agora, leitor, aproveite os comentários e nos conte: o que achou desse artigo? O que mais você acha que um diretor clínico precisa evitar em sua gestão? Compartilhe suas opiniões conosco e não deixe de participar da conversa!

Compartilhe esta publicação.
0 0 votes
Avaliar Post
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments