Saiba como otimizar a gestão da sua clínica cardiológica

14 de julho de 2022

Gestão” não é uma palavra que a maioria dos médicos está acostumado a ouvir durante seus anos de estudo. No entanto, quando o especialista torna-se proprietário de uma clínica, saber gerenciar o negócio se torna fundamental. Com a clínica cardiológica não é diferente.

Aliás, o ramo da cardiologia conta com algumas vantagens, como a possibilidade de adquirir equipamentos via comodato ou locação e emitir laudos à distância, diminuindo custos e aumentando o faturamento da clínica.

Neste artigo, explicamos quais são os pontos principais aos quais você deve estar atento para otimizar a gestão da sua clínica cardiológica. Continue a leitura e tire as principais dúvidas sobre o tema.

Como simplificar a gestão da clínica cardiológica?  

Se você está se perguntando como irá arcar com todas as despesas de uma clínica cardiológica, tenha calma. Várias pessoas já trilharam esse caminho antes e encontraram soluções. 

Algumas delas passam por regras básicas da administração de qualquer negócio, como o controle de insumos, gastos, recebimentos e folha de pagamento.

Outras são mais específicas à área da medicina, como o gerenciamento de dados dos pacientes e outras demandas (burocráticas ou não) da área da saúde.

Por isso, aliar o atendimento e o gerenciamento de uma agenda apertada à administração do negócio pode ser bastante desafiador. 

Felizmente, uma boa parte dessas tarefas pode ser automatizada ou, pelo menos, otimizada em processos mais inteligentes. Dessa forma, é possível simplificar a rotina e dar conta do que é mais importante para você.

Quer saber como começar a fazer isso? Leia as dicas a seguir.

  1. Organize sua agenda

Parece óbvio, mas esse é um dos fatores que trazem mais estresse aos gestores de clínicas. Isso porque, muitas vezes, existe a vontade de encaixar mais pacientes do que a agenda permite (principalmente quando o médico é também o gestor). 

E não deixe tudo no papel: existem muitas ferramentas online que auxiliam na digitalização, organização e novos agendamentos.

  1. Digitalize os dados dos pacientes

Para simplificar sua rotina, organize todos os dados dos pacientes em um só lugar, que seja de fácil acesso.

Além disso, lembre-se que a Lei 13.787/2018 exige que o prontuário do paciente seja armazenado por pelo menos 20 anos. Por isso, digitalizar esses dados é uma maneira de facilitar a gestão de dados e, consequentemente, da clínica!

  1. Mantenha um controle financeiro rigoroso

Anote todas as movimentações financeiras da sua clínica cardiológica, mesmo as que parecem insignificantes. Só assim você consegue visualizar quais gastos devem ser cortados ou reduzidos, e quais devem ser mantidos.

Se for preciso, contrate um profissional especializado em contabilidade. Afinal, saber delegar tarefas também é uma característica do bom gestor. 

  1. Avalie quais serviços podem ser terceirizados

A terceirização é uma opção para trazer mais eficiência ao seu negócio. Imagine, por exemplo, que a sua clínica cardiológica começa a receber uma grande demanda por um exame cujo equipamento você não possui, como o Holter, Mapa ou ECG. 

Uma opção para atender a essa demanda, mais viável para grandes clínicas, seria adquirir o equipamento e contratar uma equipe especializada na emissão de laudos. 

Outra opção, mais eficiente para clínicas menores ou profissionais no início da carreira, é adquirir os equipamentos via locação ou comodato.

Com isso, você ainda pode contar uma central de laudos à distância para a sua clínica. Dessa forma, você economiza com estrutura e equipe garantindo a excelência dos diagnósticos e a agilidade na entrega dos resultados. 

  1. Invista em telemedicina

A telecardiologia é a submodalidade da telemedicina mais desenvolvida e que mais se beneficia das tecnologias da comunicação e informação. Com ela, é possível: 

  • realizar laudos online em tempo real;
  • reduzir gastos com deslocamento;
  • preservar a vida do paciente;
  • reduzir visitas e encaminhamentos desnecessários aos centros de saúde;
  • contar com segunda opinião de especialistas e discussão de casos;
  • conferir acesso à especialidade em áreas remotas.

Embora o atendimento presencial seja o padrão ouro da medicina, a telemedicina vem ganhando cada vez mais destaque devido aos seus resultados eficientes, redução de custos e rapidez no compartilhamento de informações.

A TME – Telemedicina Cardiológica é uma central de laudos a distância que oferece tecnologia de qualidade a profissionais em todo o país. 

Se você quer saber como podemos ajudar sua clínica cardiológica a inovar no cuidado com a saúde dos pacientes, entre em contato com nossos profissionais e tire suas dúvidas! 

Compartilhe esta publicação.

Por Paulo Miranda Filho

Médico, diretor de crescimento na TME, professor de empreendedorismo no MBA Health do BBI of Chicago, Gestão de TI (FIAP) e Especializando Gestão de Negócios (FDC).

0 0 votes
Avaliar Post
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments